Alqueire de terra no rss

As transformações que levaram ao estabelecimento do feudalismo na Europa Ocidental, a partir do século V.

 

Estratégias:

  • Leitura e interpretação de fontes escritas.
  • Leitura e interpretação de fontes imagéticas.
  • Elaboração de quadro sobre as obrigações feudais.
  • Exploração do jogo "Era Feudal".
  • Produção de esquemas.
  • Discussões coletivas.

 

Recursos:

  • Internet e computador.
  • Textos e imagens.
  • Jogo "Era Feudal".
  • Programa PowerPoint ou similar.

 

 

Módulo 1 - O regime servil na Europa Medieval

Atividade 1

 

Diferenças entre servidão e escravidão

 

Durante a Idade Média na Europa Ocidenta,l predominou o regime de servidão. Inicie as atividades da aula estimulando, entre os alunos, uma discussão a respeito dos conceitos de servidão e escravidão.

 

Questione: Podemos dizer que os conceitos de servidão e escravidão são sinônimos? Os servos da Idade Média eram escravos?

 

Para que os alunos possam refletir sobre a questão, proponha o trabalho com os textos abaixo:

 

 

Texto 1

O camponês servil era um escravo?

O escravo podia ser comprado ou vendido em qualquer tempo, como ocorreu na antiguidade e na África da época moderna. O servo tinha o status legal de homem livre, embora os senhores procurassem mantê-los presos às suas terras por meio de obrigações feudais. Portanto, os servos não eram escravos, nem trabalhadores livres.

A servidão era uma relação de trabalho no qual uma pessoa (servo) devia obrigações a outra (senhor). Estas obrigações geralmente eram pagas em forma de tributos, em troca de um pedaço de terra para produzir, de proteção e de segurança militar, fornecidas por seus senhores feudais. Como os escravos, os servos deviam obediência e lealdade ao seu senhor.

Mas o que caracterizava um servo?

O servo não podia entrar para ordens religiosas, não podia denunciar homens livres na justiça, nem dispor livremente de seus bens, não participava do exército (defesa), nem podia deslocar-se livremente.

(Grifos nossos.Ver fonte/link abaixo do Texto 3)

Texto 2

Por mais pesadas que estas obrigações pudessem parecer, num certo sentido, eram a antítese da escravatura, pois supunham a existência de um verdadeiro patrimônio nas mãos do devedor. Na sua qualidade de foreiro, o servo tinha os mesmos direitos que qualquer outro, a sua posse já não era precária e o seu trabalho, uma vez satisfeitos os tributos e os serviços, só a ele pertencia.

(Adaptado de BLOCH, 1987 p. 273-279).

 

Texto 3

(...) servos eram trabalhadores dependentes. Recebiam do senhor lotes de terra, os mansos, de cujo cultivo dependia sua sobrevivência e em troca da qual realizavam o pagamento de determinadas taxas àquele senhor. Trabalhavam em lugares e tarefas indicados pelo senhor, sem nenhum tipo de remuneração. Tinham a posse vitalícia e hereditária de seus mansos e a proteção militar proporcionada pelo senhor.

Os escravos existiam em pequena quantidade, nas sociedades feudais; eram mais comuns nas regiões mais próximas do Império Bizantino ou Império Islâmico; ao contrário de trabalhadores dependentes, eram propriedade dos senhores.

(Adaptado de FRANCO JR., 2004, p. 91)

Fonte dos textos:

História – Ensino Médio/ Vários autores. Curitiba: SEED-PR, 2006. – 400 p.

Link para acesso:

http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/livro_didatico/historia.pdf

Acesso em: 15/05/2014

 

Orientações para a atividade:

a. Os alunos devem fazer uma leitura individual e atenta dos textos.

b. Proponha a discussão coletiva dos textos, para que os alunos possam abordar as seguintes questões:

 

  • Aspectos que diferenciam um servo de um escravo.
  • Características específicas da servidão nas sociedades feudais.
  • No Texto 3, adaptado de Franco Jr, observa-se a seguinte afirmação, numa referência aos servos: "Tinham a posse vitalícia e hereditária de seus mansos (...)". Os alunos devem discutir, sob orientação do professor, o significado da afirmação.
  • Os textos fazem referências às obrigações que os servos deviam aos senhores feudais como consequência de sua condição e ao que recebiam em troca do cumprimento das mesmas. Os alunos devem apontá-las nos textos e discuti-las.

 

Atividade 2

As obrigações feudais

 

Ainda utilizando a fonte trabalhada na atividade anterior, os alunos poderão aprofundar a discussão sobre as características principais do regime servil na Europa Medieval, apontando as principais obrigações a que os servos estavam submetidos:

Entre as formas de domínio dos senhores sobre os camponeses, servos ou não, podem se destacar algumas obrigações de trabalho que servem para ilustrar a exclusão e dependência a que estes camponeses estavam submetidos:

 

  • derrubada de árvores, limpeza dos campos, plantio e colheita nas terras dos senhores;
  • conserto de estradas, pontes e represas;
  • pagamento pelo uso dos moinhos, fornos, passagem por estradas e pontes das propriedades feudais;
  • pagamentos de dotes de casamento para as filhas do senhor;
  • indenização ao senhor pelo nascimento, morte ou casamento do servo;
  • indenização ao senhor pelo adultério cometido pela esposa do servo;
  • concessão ao senhor da esposa do servo na primeira noite do casal.

 

Estas obrigações são ilustrativas porque não foram comuns à toda sociedade feudal. Ocorreram em algumas regiões e em diferentes épocas no contexto da organização da sociedade feudal europeia.

http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/livro_didatico/historia.pdf

Acesso em: 15/05/2014

 

Orientações para a atividade

a. Os alunos devem fazer uma leitura atenta do texto relativo às obrigações dos servos no feudalismo, acessando o link indicado.

b. Além da leitura sugerida, oriente os alunos a buscarem outras fontes que tratem do tema. Confira, por exemplo:

 

1. As obrigações feudais. Por Rainer Sousa. Disponível em: http://www.brasilescola.com/historiag/as-obrigacoes-feudais.htm

2. Relações de servidão no mundo feudal. Por Leandro Carvalho. Disponível em: http://www.alunosonline.com.br/historia/relacoes-servidao-no-mundo-feudal.html

3. As principais obrigações dos servos na época do feudalismo. Disponível em: http://www.suapesquisa.com/feudalismo/talha_corveia_banalidades.htm

Acesso em: 15/05/2014

 

 

c. A partir das fontes consultadas, divididos em grupos, os alunos devem elaborar um quadro, em PowerPoint, com algumas das principais obrigações servis do período analisado, colocando a denominação e a definição/explicação da mesma. Em seguida, deverão vincular uma imagem (ou desenho feito pelo grupo) correspondente a cada uma das obrigações feudais.

 

d. Para auxiliar na elaboração dos desenhos ou na seleção de imagens a serem reproduzidas no quadro, relativas às obrigações servis no feudalismo, indique aos alunos o jogo “Era Feudal”, o qual, entre outras temáticas, aborda o tema em questão. Confira o jogo no site do Portal do Professor:

 

Jogo: ERA FEUDAL

Era feudal

 

Era feudal 

 

Descrição

Caracteriza a época do Feudalismo, permitindo a compreensão e a interação de personagens e atividades similares ao período. Aborda aspectos do feudo como a estrutura, o clero, a nobreza e os servos.

Autor: Régis Vinícius Colombo Terêncio

 

As Informações acima e o recurso estão disponíveis em:

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnica.html?id=1325 Acesso em: 15/05/2014

 

Atenção!

Após download, os alunos poderão jogar e responder questões acerca da sociedade feudal (propostas na última etapa do jogo). A partir da atividade, terão mais subsídios para o trabalho de elaboração do quadro sobre as obrigações dos servos no feudalismo.

 

e. Confira, abaixo, um exemplo de como o quadro poderá ser elaborado:

 

Principais obrigações dos servos no feudalismo
Corveia

Esta obrigação correspondia aos serviços prestados, pelos servos, nas terras ou instalações do senhor feudal. De três a quatro dias por semana, o servo era obrigado a cumprir diversos trabalhos como, por exemplo, fazer a manutenção do castelo, construir um muro, limpar o fosso do castelo, limpar o moinho etc. Podia também realizar trabalhos de plantio e colheita no manso senhorial (parte das terras do feudo de uso exclusivo do senhor feudal).

Reeve and Serfs.jpg
Talha    
Banalidades    

Fontes utilizadas: Após o trabalho de representação das principais obrigações feudais, os alunos devem indicar as fontes utilizadas na elaboração dos conceitos e reprodução/desenho das imagens.

Ex:

1. Corveia. Texto: http://www.suapesquisa.com/feudalismo/talha_corveia_banalidades.htm. Imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Reeve_and_Serfs.jpg

 

Atenção! Como informado no item c, se os alunos preferirem ou não encontrarem, em fontes da época, todas as imagens de que necessitam, poderão representar as obrigações feudais  por meio de desenhos autorais. Estimule-os a usar a criatividade!

f. Os quadros elaborados pelos alunos deverão ser apresentados e discutidos em sala de aula.

 

Atividade 3

 

O tempo da natureza e o tempo da Igreja

 

Na Idade Média, a vida dos servos girava em torno das atividades desenvolvidas no feudo (propriedade rural dos senhores feudais) e o cotidiano era marcado pelo "tempo da natureza" e o "tempo da Igreja".  Para que os alunos reflitam acerca da relação entre servidão, trabalho no campo e tempo da natureza/Igreja na Idade Média, apresente a eles as fontes indicadas abaixo:

 

Fonte 1 Fonte 2

OS DIREITOS SENHORIAIS EM VERSON

 

"Em São João (24 de junho), os camponeses de Verson na Normandia devem ceifar os prados do senhor e levar os frutos ao castelo. Depois, devem cuidar dos fossos. Em agosto, colheita do trigo que devem levar à granja. Eles próprios não podem recolher os seus feixes senão depois que o senhor tirou antecipadamente a sua parte. Em setembro, devem a “porcagem”: um porco em oito e dos mais bonitos. Em São Diniz (9 de outubro) pagam o “censo”, depois o direito de fechar o seu campo. No começo do inverno, corveia sobre a terra senhorial, para prepará-la, semear e passar a grade. Em Santo André (30 de novembro) paga-se uma espécie de bolo. Pelo Natal, “galinhas boas e finas”. Depois, uma certa quantidade de cevada e trigo. Se o camponês vender a sua terra, a décima terceira parte do preço de venda pertence ao senhor. No domingo de Ramos, deve ele a “carneiragem” – um certo número de carneiros – e uma nova corveia de trabalho. Depois deve ir para a forja, ferrar os cavalos; no bosque, cortar as árvores para o senhor e fazer a corveia do carreto. Ainda mais: o moleiro do castelo, para moer o grão do camponês, cobra um alqueire de grão e uma certa quantidade de farinha; no forno, é preciso pagar também, e o “forneiro jura que, se não tiver o seu pagamento, o pão do camponês ficará mal cozido e mal “virado”.

(LUCHAISE, “La société française au temps de Philippe Auguste.”
Citado por ALBA, André. A Idade Média. S.P., Ed. Mestre Jou, 1967, p.33/34.)

Na Idade Média, além dos tempos naturais e sociais de natureza leiga, eram fortemente sentidos os tempos ligados à religião como aqueles do dia monástico, que prevê cotidianamente os serviços para as laudes, a prima, a terça, a sexta, a nona, as vésperas e as completas. No início da modernidade, o tempo da Igreja, marcado pelo sino, entrou em conflito com o tempo do mercador, marcado pelo relógio.  Se de fato ao camponês bastava dividir o seu tempo segundo as luas e as estações, tornadas imprecisas pela demarcação apagada entre calor e frio, sol e chuva, dia e noite; se ao monge bastava dividir as horas, segundo, os sete períodos da própria liturgia cotidiana, marcadas aproximadamente pelo relógio de sol, pela clepsidra e pelo sino, ao mercador – que faz tesouro do tempo que decorre entre a compra e a venda, pagamentos e recebimentos, transferência de mercadorias e maturação de interesses – é necessária uma medida muito mais precisa das horas e dos dias. (...).

Se antes interessava apenas a salvação na vida eterna, agora interessa também o ganho na vida terrena.

(Adaptado de DE MASI, 2000, p. 97-101).

Fonte 1. Disponível em: http://www.miniweb.com.br/historia/Artigos/i_media/sacerdotes_guerreiros.html

Fonte 2. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/livro_didatico/historia.pdf

Acesso em: 15/05/2014

 

 

 

Fonte 3
Calendário

Calendário de Pietro Crescenzi (século XIV)

Disponível em: http://sesi.webensino.com.br/sistema/webensino/aulas/repository_data//SESIeduca/ENS_FUN/ENS_FUN_F08_HIS/131_HIS_ENS_FUN_F08_09/imagens/ref/Imagem06.jpg

Acesso em: 15/05/2014

 

Orientações para a atividade:

a. Divididos em duplas, os alunos devem receber, impressos, os materiais indicados acima (textos e calendário).

b. Após uma leitura atenta, a dupla deverá extrair do texto da Fonte 1 e discriminar, por escrito, cada uma das obrigações devidas pelos servos aos seus senhores, ao longo do ano.  A partir desta atividade, devem responder:

 

  • O que é possível afirmar, a partir do texto, a respeito da relação entre servos e senhores feudais na Europa medieval?

 

A proposta é que os alunos percebam tanto a exploração a que estavam submetidos os servos nas sociedades feudais europeias, a partir das obrigações que lhes eram impostas, quanto o fato de que eles constituíam a ordem que sustentava as outras duas (nobreza e clero) com o seu trabalho. Para que cheguem a essas conclusões, o professor deverá incentivar o debate entre os dois alunos da dupla e, posteriormente, entre todas as duplas. Caso não cheguem sozinhos a elas, o professor deverá discuti-las com os alunos.

 

c. Em relação à Fonte 2, oriente os alunos a lerem atentamente o texto. Embora o objetivo central do mesmo seja apresentar as mudanças ocorridas nas noções de tempo e de trabalho, na transição do feudalismo para o capitalismo, a partir dele é possível apreender quais eram as noções e ritmos de tempo predominantes nas sociedades feudais da Europa Ocidental. Os alunos devem extrair do texto as passagens que permitem observar o tempo da natureza e o tempo da igreja presentes no cotidiano feudal.

 

d. A partir da observação atenta do calendário (Fonte 3), oriente as duplas a analisarem as atividades realizadas em cada mês do ano pelos servos. O que elas indicam a respeito do trabalho dos servos nas sociedades feudais? Qual a relação existente entre o texto da Fonte 1 e o calendário? É possivel afirmar que as atividades dos camponeses estavam relacionadas às estações do ano e, portanto, ao "tempo da natureza"?

 

e. E nos dias atuais, nas sociedades industrializadas, predomina o "tempo da natureza" como na Idade Média? Justifique sua resposta.

 

f. Promova a discussão coletiva das questões.

 

Atividade 4

As três ordens

 

Em seguida, para que os alunos reflitam acerca de como a Igreja Católica justificava a divisão da sociedade em três ordens distintas e de como, nesta perspectiva, cabia aos servos o trabalho e a sujeição, proponha a leitura abaixo:

A razão (de ser) dos carneiros é fornecer leite e lã; a dos bois é lavrar a terra; e a dos cães é defender os carneiros e os bois dos ataques dos lobos. Se cada uma destas espécies de animais cumprir a sua missão, Deus protegê-la-á. Deste modo, fez ordens, que instituiu em vista das diversas missões a realizar neste mundo. Instituiu uns - os clérigos e os monges - para que rezassem pelos outros e, cheios de doçura, como as ovelhas, sobre eles derramassem o leite da pregação e com a lã dos bons exemplos lhes inspirassem um ardente amor a Deus. Instituiu os camponeses para que eles - como fazem os bois, com o seu trabalho - assegurassem a sua própria subsistência e a dos outros. A outros, por fim - os guerreiros -, instituiu-os para que mostrassem a força na medida do necessário e para que defendessem dos inimigos, semelhantes a lobos, os que oram e os que cultivam a terra.

BISPO EADMER DE CANTERBURY, retransmitindo os ensinamentos de SANTO ANSELMO, século XI. Citado em Le GOFF, p10.

Fonte: FARIA, Ricardo de Moura e outros. Construindo a História. V.2. Belo Horizonte: Ed. Lê, 1988, p. 37

Iluminura que representa as três ordens medievais

http://historia.zevaldoemaragogipe.com/2012/11/documentos-da-idade-media-das-tres.html

Acesso em: 15/05/2014

 

Orientações:

 

a. Após a leitura atenta e individual, os alunos devem discutir o texto, atribuído ao Bispo Eadmer de Canterbury (século XI), a partir dos seguintes questionamentos:

  • De acordo com o bispo, havia três ordens na sociedade feudal, com funções bem definidas. Aponte quais eram elas e suas respectivas funções.
  • Para o bispo, as ordens foram instituídas por Deus "em vista das diversas missões a realizar no mundo". Como você analisa essa visão, em relação às desigualdades sociais no feudalismo? O bispo as questiona ou as justifica? Explique.
  • O bispo faz uma analogia das três ordens (clero, camponeses e guerreiros) com a "razão de ser" de três animais: carneiros, bois e cães, respectivamente. Explique o que você entendeu sobre o raciocínio e depois responda: qual era, em sua opinião, o objetivo do bispo com tal analogia? Acredita que havia a intenção de estimular o conformismo entre os servos? Justifique.

 

b.  É possível estabelecer alguma relação entre o texto do bispo e a imagem à direita? Justifique.

 

As questões devem ser discutidas coletivamente pelos alunos. As conclusões devem ser registradas por escrito.

 

 

Módulo 2 - O cotidiano dos servos no período medieval

 

Atividade 1

O cotidiano dos servos nas sociedades feudais da Europa Ocidental foi abordado de maneira geral nas atividades do Módulo 1. A proposta para este módulo é que alguns aspectos relacionados ao modo de viver e pensar dos servos na Idade Média sejam aprofundados. Para tanto, os alunos devem reunir fontes que permitam refletir e discutir sobre o assunto. Abaixo, indicamos algumas sugestões:

 

HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. Tradução de Waltensir Dutra, 21° edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A.,1986.

O cotidiano, mentalidades e aspectos culturais no período medieval. http://www.sohistoria.com.br/ef2/medieval/p4.php

Cultura popular e vida cotidiana na Europa Medieval. http://oridesmjr.blogspot.com.br/2013/06/cultura-popular-e-vida-cotidiana-na.html

A mentalidade medieval. http://www.starnews2001.com.br/mentalidade.html

Acesso em: 15/05/2014

 

 

Atenção!

Os links e bibliografia indicados acima são sugestões, portanto, ressaltamos a importância de estimular os alunos a selecionarem, eles mesmos, fontes para a discussão da temática. O trabalho de seleção de fontes, sob a orientação do professor, é fundamental para o desenvolvimento do senso crítico e reflexivo dos estudantes.

 

Orientações para a atividade:

 

a. Divida os alunos da turma em quatro grupos. Os grupos ficarão responsáveis pelo trabalho de leitura e interpretação dos textos selecionados.

b. Inicialmente, os alunos devem fazer uma leitura atenta, silenciosa e individual dos textos reservados para o seu grupo.

c. Ainda individualmente, os alunos devem anotar as ideias e os conceitos centrais dos textos.

d. A partir das fontes indicadas e de outras selecionadas pelos alunos, será possível uma reflexão específica sobre alguns aspectos do cotidiano dos camponeses na Idade Média, como, por exemplo:

  • Moradia
  • Alimentação
  • Saúde
  • Vestuário
  • Lazer
  • Costumes e tradições
  • Outros

Em grupo, os alunos devem organizar as ideias e os conceitos centrais dos textos, por meio da produção de esquemas relativos a cada um dos temas propostos.

 

Esquema

 

Existem várias possibilidades de se esquematizar as ideias centrais de um texto, seja utilizando setas, chaves, mapa conceitual etc. Confira as orientações para a elaboração de esquemas na aula publicada no seguinte endereço web: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=48914 (Acesso em: 15/05/2014).

 

e. Durante a elaboração dos esquemas, os alunos devem verificar se anotaram as mesmas ideias centrais, comentando-as. Possíveis dúvidas devem ser esclarecidas, antes da finalização da atividade.   

 

f. Todos os grupos devem apresentar os esquemas produzidos para cada um dos temas, discutindo coletivamente as ideias centrais, sob a coordenação do professor.

O professor deve observar se os objetivos propostos na aula foram efetivamente alcançados pelos alunos, tendo em vista as estratégias desenvolvidas e os recursos utilizados. Assim, poderá avaliar os alunos nas atividades trabalhadas em cada módulo, como: leitura e interpretação de fontes escritas, leitura e interpretação de fontes imagéticas, elaboração de quadro sobre as obrigações feudais, exploração do jogo "Era Feudal", produção de esquemas e discussões coletivas.



Related news

Lunette balistique airsoft
Reina que irradia luzerne
Irs online tax transcript request
Luxury accommodation musina
Mal de dent la nuit que faire
Como fazer mussarela na churrasqueira
Churrasqueira a gas vertical engine
Mehdi modarres ehsaas quotes
Lirik bermodal cinta eric
Radio 1 diretta frequenza di